Dez entidades – nacionais e estaduais – que representam os ISPs lançaram ontem, 16, manifesto no qual apontam as iniciativas adotadas pelas pequenas empresas em apoio ao governo e à sociedade para o enfrentamento da pandemia e reforçando o argumento para que os clientes mantenham o pagamento dos serviços consumidos.

As entidades assinalam o engajamento das empresas para levar internet em banda larga para as Unidades de Saúde desconectadas, por quatro meses gratuitamente, e as campanhas de conscientização promovidas pelo Ministério da Saúde e distribuídas por elas.

PUBLICIDADE  

Afirmam ainda que as mais de 20 mil empresas estão fazendo todos os esforços para manterem os seus funcionários e alertam para os cuidados que devem ser tomados contra as “fake news”.

Assinam o documento Abramulti, Abranet, Abrint, APIMs, APRIAM, APRONET, InternetSul, RedeTelesul, SeineSP, SeineBA.

Leia aqui a íntegra:

Cientes do período crítico pelo qual o Brasil atravessa, os provedores de conectividade, aplicativos, conteúdo Internet e as pequenas prestadoras de serviços de telecomunicações, representados pelas Associações abaixo signatárias deste documento, se alinham para apoiar de forma mais efetiva o governo federal e a sociedade no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus, a COVID-19. Mobilizados, milhares destas pequenas empresas estão tomando iniciativas conjuntas ou de forma isolada para garantir o uso da Internet em todo o País.

Atendendo a uma necessidade apontada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), um número significativo dessas pequenas empresas – mais do que suficiente para suprir a demanda identificada – já se voluntariou para fornecer conectividade ao sistema de saúde de cerca de 16 mil Unidades Básicas de Saúde (UBS), que não têm essa ferramenta. Excepcionalmente, durante o período da crise, as UBS terão acesso gratuito à Internet, graças a essas pequenas empresas.

Com isso, as UBS terão mais facilidade para acessar sistemas e recursos de compartilhamento nacional de dados, como o Registro Eletrônico de Saúde, o Cartão Nacional de Saúde e a Telessaúde. Esse simples ato aumentará a eficiência das UBS no monitoramento do número de casos da COVID-19, além de permitir que os profissionais da saúde possam se comunicar com especialistas em qualquer outro ponto no mundo.

As pequenas empresas também estão realizando campanhas de conscientização da população sobre a COVID-19, em conformidade com as recomendações do Ministério da Saúde. Da mesma forma, estão cercando de cuidados seus colaboradores que precisam atuar em campo, na instalação de novos pontos de acesso ou nos reparos de problemas técnicos de seus clientes. Já o corpo administrativo está trabalhando a partir de suas respectivas residências, em home office, enquanto durar a recomendação das autoridades. O mesmo cuidado está sendo tomado no atendimento dos clientes.

No Brasil, existem cerca de 20 mil pequenas empresas prestadoras de serviços de telecomunicações e de provimento de conectividade Internet, que só podem continuar operando graças à cooperação de seus clientes que estão mantendo o pagamento regular dos serviços. Mesmo na difícil condição de pequena empresa, todo o esforço está sendo feito no sentido de reter o corpo de funcionários. Por isso, a colaboração dos clientes é tão importante. Com todos os desafios e incertezas, essas pequenas empresas buscam arduamente alternativas para manter seus clientes atendidos.

Como já divulgado pelos meios de comunicação, os hábitos foram alterados e o uso da Internet muito ampliado, o que demanda ainda mais esforço das pequenas empresas que precisam contratar links de alta capacidade para manter a interligação necessária ao funcionamento da Internet.

O esforço dessas pequenas empresas, em sua maioria conectada à comunidade local, acaba por manter ativa uma cadeia econômica extensa e importante para o País. Funcionários, fornecedores e grandes prestadoras de serviços de telecomunicações, entre outros, seguem com suas receitas e atividades geradas pelo espírito empreendedor dessas pequenas empresas.

Em nome dos associados queremos afirmar que todos seguiram atuando com o firme propósito de garantir à população brasileira que a Internet continue funcionando durante a crise. As pequenas empresas seguirão empenhadas em ajudar o poder público na guerra contra o coronavírus, por todos os meios mencionados e pela manutenção do funcionamento da Internet para milhões de brasileiros.

É importante, ainda, que os usuários da Internet atentem com muito cuidado para as “Fakes News” – as informações falsas que circulam pelo ambiente Internet e os falsos “links” que buscam atingir os menos atentos. Assim, antes de compartilhar notícias e informações procure se assegurar das fontes, verifique em “sites” e fontes confiáveis para evitar propagar informações falsas. Não clique em links que não estejam hospedados em “sites” oficiais, como no caso do aplicativo para cadastramento para receber o auxílio federal, procure saber qual(is) “sites” devem ser utilizados.

A associações seguirão atuando para auxiliar a seus associados, fazendo a sua parte no esforço conjunto em nosso país. Lembrando que a colaboração de todos os clientes, empresas privadas e governo é essencial para a superação do momento atual.” Abramulti, Abranet, Abrint, APIMs, APRIAM, APRONET, InternetSul, RedeTelesul, SeineSP, SeineBA