Por Marcius Vitale

No ciclo de vida de um projeto de infraestrutura, para que possamos obter pleno sucesso, não é concebível que após sua implantação a manutenção seja negligenciada, fato este observado com frequência.

Em diversas áreas da engenharia, temos registrado inúmeros casos graves tais como: o acidente em barragens, quedas de viadutos, deslizamentos, enchentes provocadas por ausência de obras de saneamento e incêndio em agrupamento de cabos instalados em postes, que denotam desatenção por parte dos gestores responsáveis.

PUBLICIDADE  

Em alguns nichos “o trem anda nos trilhos”, é o caso da aviação que não admite falha: manutenção precária – avião no chão.

No segmento de infraestrutura de telecomunicações, com a grande diversidade de novos produtos e equipamentos disponibilizados, o item manutenção deve ser observado com maior atenção, pois as falhas geradas em sistemas e redes, provocadas por desconhecimento, economia, falta de treinamento e visão distorcida da operação, podem causar sérios transtornos e prejuízos para usuários e organizações.

O conceito de manutenção é definido por uma ação ou série de ações requeridas, para prever uma ocorrência de falha ou para restabelecer as condições satisfatórias de operação de um equipamento, rede ou sistema.

Para se obter sucesso, carece de conhecimento técnico para aplicação das boas práticas da engenharia, assim como, investimentos na formação, treinamento e reciclagem da mão de obra, utilizando sempre equipamentos de apoio adequados e que os gestores saibam valorar esses serviços.

Minimizar as despesas operacionais é o desejo de todo administrador e para tanto, uma estratégia segura e conhecimento, podem orientá-lo na adoção de qual o método de manutenção que deve ser utilizado.

Outros fatores que podem colaborar para a melhoria nos processos de manutenção e preservação do que está implantado, é a contratação de um corpo técnico competente e empresas prestadoras de serviços, que possuam notórios conhecimentos,  sejam treinadas e remuneradas adequadamente.

Para que o sistema não fique emperrado, temos que ter muita competência técnica, inovação e criatividade que possibilitem uma fluidez para as gigantescas necessidades de banda que trafegam na nossa infraestrutura de redes.

Estamos num novo tempo, a era digital está presente com a internet das coisas, cidades digitais, inteligência artificial e o 5G, fatores que requerem dos atores envolvidos, uma aguçada visão de futuro.

O cliente está cada vez mais exigente e atento para o que é disponibilizado. Quem não se enquadrar, terá serias dificuldades.

“Dificilmente existirá alguma coisa neste mundo que alguém não possa fazer um pouco pior e vender um pouco mais barato. E as pessoas que consideram somente preço são suas merecidas vítimas” (JOHN RUSKIN – Filósofo inglês).

MANUTENÇÃO É ISSO

Quando vai bem, ninguém lembra que existe.

Quando algo vai mal, dizem que não existe.

Quando é para gastar, acham que não é preciso que exista.

Porém quando realmente não existe…

Todos concordam que deveria existir.

 


*Marcius Vitale é engenheiro, CEO da Vitale Consultoria e presidente da Adinatel.