Facebook apoia terceiro ano de combate a fake news


O Facebook, por meio do seu Facebook Journalism Project, anuncia apoio pelo terceiro ano consecutivo ao Comprova, programa colaborativo que reúne jornalistas de 28 veículos de comunicação de todo país para verificação de notícias. Após mais de dois meses dedicado à verificação de conteúdos suspeitos sobre o novo coronavírus, o Comprova começará nesta semana também a verificar conteúdos de teor eleitoral e relacionados a políticas públicas. 

O objetivo do programa é verificar textos, imagens e áudios compartilhados na internet e que podem confundir as pessoas, como boatos infundados ou informações falsas e enganosas. A verificação é feita usando metodologias desenvolvidas pela organização internacional First Draft, que pesquisa desinformação e oferece treinamento para jornalistas. 

Seis novos veículos de comunicação ingressam na terceira fase do Comprova: A Gazeta do Sul, Correio do Estado, Correio de Carajás, Diário do Nordeste, O Estado de Minas e O Popular. Eles se juntarão às demais organizações de mídia já envolvidas com o projeto: A Gazeta, AFP, Band News, Band TV, Band.com.br, Canal Futura, Correio (da Bahia), Correio do Povo, Exame, Folha de S.PauloGaúchaZH, Jornal do Commercio, Metro Brasil, Nexo Jornal, NSC Comunicação, O Estado de S. Paulo, O Povo, Poder360, Rádio Band News FM, Rádio Bandeirantes, revista piauí, SBT e UOL. 

PUBLICIDADE  

O público pode denunciar conteúdos suspeitos ou falsos relacionados aos temas que estão no escopo do projeto e sugerir verificações por meio do WhatsApp  –  (11) 97795-0022 – e por um um formulário no site projetocomprova.com.br. 

A coalizão do Comprova é liderada pela Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), junto com Facebook, que financia a iniciativa e fornece suporte técnico e treinamentos por meio do Facebook Journalism Project, o Google News Initiative também apoia o projeto. 

Além da parceria com o Comprova, o Facebook conta com diversas iniciativas para combater a desinformação na plataforma, como a parceria com agências de checagem de fatos. Nos últimos meses, a empresa anunciou um programa de US$1 milhão para aumentar a capacidade de trabalho de verificadores de fatos, por meio de uma aliança com a The International Fact-Checking Network (IFCN) e agências de checagem de fatos. O Facebook incluiu ainda uma série de recursos na plataforma para limitar a propagação de boatos e desinformação sobre a COVID-19.(Com assessoria de imprensa) 

 

Previous Venturus abre inscrições para estagiários
Next eSocial: Covid-19 adia entrada do 3º grupo de obrigados

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *