Intelbras abre APIs da plataforma Zeus para dispositivos Wi-Fi


Em um futuro próximo, será possível gerenciar dispositivos como roteadores, câmeras de monitoramento, centrais telefônicas e rádios de transmissão por meio de uma plataforma de IoT. Alinhada com essa tendência, a Intelbras, fabricante 100% brasileira dos segmentos de segurança, redes e telecom, democratiza a sua plataforma Zeus para dispositivos Wi-Fi por meio da publicação da sua API.

A intenção da empresa é de que outros empreendedores desenvolvam soluções integradas aos produtos da marca Intelbras. Para isso, abriu para a comunidade de programadores no Brasil APIs da plataforma Zeus, que no futuro será embarcada em todos os produtos da empresa.

Por meio das APIs, várias soluções podem ser criadas, como sistemas em nuvem de gerenciamento ou aplicativos móveis que tragam facilidades para donos de negócios como comerciantes e redes de hotéis. A comunicação é feita de forma padronizada e está totalmente especificada na documentação oficial https://izeus.docs.apiary.io/. A API disponibiliza diversas funções que podem ser utilizadas por outras aplicações e sistemas.

PUBLICIDADE  

“Somos a única empresa do setor no Brasil de componentes eletrônicos que está potencializando essa possibilidade ao mercado”, comenta o diretor da área de redes da Intelbras, Amilcar Scheffer. A estratégia de APIs abertas é uma tendência no mercado mundial e existe uma perspectiva de que esse mercado cresça até 2,2 trilhões de dólares em 2018, segundo dados da IBM.

Plataforma Zeus

O principal diferencial da plataforma Zeus é a possibilidade de gerenciar dispositivos como repetidores de sinal, roteadores e rádio transmissores por meio das chamadas APIs, além de criar novas possibilidades e customizações utilizando o Wi-Fi como intermediador. A plataforma Zeus da Intelbras está integrada nos Access Points AP 310 e AP 360, lançados no final de 2017, com foco em ambientes empresariais, hotéis e eventos.

Scheffer aponta: “A facilidade dessas APIs abertas, futuramente, será controlada para automatizar processos em que diversas aplicabilidades serão possíveis, não somente com produtos de redes, mas de outros segmentos, para que empresas e startups possam expandir e potenciar novos negócios e ideias”.

Fornecer uma API pública para um dispositivo Wi-Fi pode contribuir para que criadores de soluções tecnológicas consigam personalizar as redes de conexão de empresas, eventos e comércios. Em locais como shoppings e centros comerciais, por exemplo, seria possível selecionar quantos usuários podem acessar uma determinada rede WiFi, controlar a velocidade da rede, ou simplesmente verificar o volume de utilização de internet por localidade, entre outras inúmeras possibilidades. (Com assessoria de imprensa)

Previous Com 250 km de fibra, MKM cresce enfrentando os desafios da cadeia de negócios do setor
Next D-Link lança no Brasil novo roteador, com conexões sem interferências e maior alcance

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *