Nova aposta na diversidade para crescer


Crédito: Divulgação
Ana Paula Rolim                                                                                                                                                           Crédito: Divulgação

Nesse mês de novembro a Diretoria de Operações da Nova completa um ano da sua implantação. De lá para cá foram muitas realizações; estabelecimento de novos processos, criação de fluxos e crescimento na rede de atuação.  As conquistas materiais foram muitas e visíveis, tanto para o público interno como também, para o público externo.

A Nova é a quinta maior empresa em número de assinantes de banda larga no Paraná, e é o provedor regional que mais cresce no estado. Contando com 25 lojas em 22 cidades do Paraná, Mato Grosso e São Paulo, a operadora projeta fechar 2021 com um faturamento de R$ 168 milhões, prevendo um Ebitda de R$ 63 milhões e atingindo a marca de 125 mil clientes entre B2B e B2C.

O crescimento da Nova em 2021 foi orgânico e também por uma estratégia de aquisição de ISPs. De julho de 2020 até o final de 2021 serão concluídas ao todo 12 incorporações. Ao fim de 2021, a Nova terá quase 9 mil quilómetros de rede de fibra óptica nos três estados em que atua.

No modelo de negócios da Nova, a conexão à internet não é exclusividade, em 2021 a empresa ampliou o seu portfólio oferecendo também serviços de monitoramento, rastreamento veicular, telefonia fixa, seguro e assistência residencial, além de serviços de cloud.

Diversidade

A Nova tem como valor, garantir a diversidade dentro do seu quadro de colaboradores, com isso, a participação feminina é cada vez maior, construindo presença também em áreas até então reconhecidamente masculinas.

Dentro da área técnica da empresa paranaense, a presença feminina cresce de forma exponencial, chegando até mesmo à cargos de diretoria, como no caso da Diretoria de Operações, área responsável por toda a implantação de infraestrutura da Nova.

À frente desta diretoria, está a gaúcha Ana Paula Rolim, profissional de tecnologia há mais de 25 anos, é uma das mulheres pioneiras na área técnica de telecom, formada pelo Cefet-RS em 1995, no Curso Técnico em Telecomunicações, fez a graduação em Tecnologia da Informação e é especialista em Gestão de Telecomunicações.

Desde 1996 no mercado, Ana Paula já passou por inúmeras funções na área técnica, “desde o início da minha carreira estive na área, já instalei muito equipamento pelo Brasil, já trabalhei em muitas empresas, montei muito DG, PABX, fiz instalação de cabeamento estruturado e realizei visitas técnica em campo”, conta com orgulho a diretora.

Além da experiência técnica, Ana Paula que já passou por grandes players do mercado como GVT e Vivo, conta que para assumir essa nova fase em sua carreira na Nova, foi fundamental a sua experiência em gestão de projetos e de pessoas, “nessas duas empresas comandei equipes técnicas, equipes de suportes à vendas tanto no pré e no pós-vendas. Isso foi fundamental para saber compreender os segredos e os desafios da implantação da nossa Diretoria”. Para Ana Paula, a presença feminina é a grande conquista imaterial da implantação da sua Diretoria.

A Nova é pioneira e protagonista no empoderamento feminino na área técnica, pela primeira vez uma mulher assume um cargo de uma diretoria técnica em uma telco.

O Ceo da Nova, Agnaldo Lopes conta que a escolha do nome de Ana Paula passou por critérios rígidos de qualidade profissional, entrega, cuidado e engajamento, “quando convidamos a Ana Paula à vir para Nova sabíamos do seu talento e competência. Quando percebemos a necessidade da implantação dessa diretoria, devido a nossa grande expansão, o nome de Ana Paula foi natural. Ela tem a força e a sensibilidade para entregar o melhor da sua equipe para a Nova e para os nossos clientes”, declarou o Ceo.

Mas a presença das mulheres na área técnica da Nova não é restrita à diretoria, a cada dia a sensibilidade feminina fica mais evidente em várias funções da área. Para Ana Paula Rolim, é importante comemorar a presença das mulheres não por uma competição entre gêneros, mas para provar que a mulher também pode exercer funções em áreas até então dominadas por homens, “´fundamental é a convivência harmoniosa e o respeito entre todos os profissionais, e aí a questão de gênero não importa. Competência e dedicação nós encontramos em homens e mulheres, mas precisamos comemorar e reafirmar que o lugar de mulher é aonde ela quer estar”, disse a diretora.

Além de Ana Paula, completam o time técnico da Nova, Crislayne Nayara Silva, Especialista SIP Alessandra França, supervisora técnica no litoral, Thais Côrrea, Suporte técnico N2 e Silvana Fernandes, técnica de manutenção de loja em Paranaguá.

Alessandra já faz carreira na área técnica há quatro anos, acompanhando seu marido que possui uma empreiteira na área de telecom. Ela conta que começou a colaborar na empresa e imediatamente se apaixonou pela área, e principalmente pelo trabalho técnico na área de telcos, “já fiz de tudo. Fiz cabeamento, instalação em domicílio, manutenção em pop, eu gosto de estar na linha de frente do nosso negócio, só não subo em escada”, brincou.(Com assessoria de imprensa)

Previous Parceria entre EllaLink e IP Telecom favorece ISPs
Next Crise dos semicondutores: oportunidade para reforçar parcerias

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *