Phoenix Fiber opta por solução FTTH Furukawa para construção de rede neutra


Dona de uma rede neutra, multisserviço que cobre 11 cidades em quatro estados do país, a Phoenix Fiber do Brasil resolveu adotar soluções Furukawa na construção de sua rede FTTH. “A qualidade do material utilizado na construção de uma rede é um requisito essencial para tirar o melhor proveito dessa tecnologia, garantindo ao usuário maior velocidade de conexão e acesso a diferentes serviços ao mesmo tempo”, afirma a operadora, ao justificar sua opção. 

“Nosso cliente é a operadora de telecomunicações, que utiliza a nossa infraestrutura de rede FTTH para entregar diversos serviços aos usuários, que são clientes dele”, explica Marcos Faria, diretor executivo de Operações da Phoenix Fiber do Brasil. “E a operadora que contratou nossa rede é extremamente exigente em termos de qualidade; por isso, investimos em produtos Furukawa, que tem uma solução FTTH completa, fim a fim”, acrescenta. 

Premiado com o Furukawa Electric Awards, em dezembro, o projeto da Phoenix consistiu na construção de uma rede neutra de alta qualidade, que pode ser compartilhada entre várias operadoras para a oferta de uma série de serviços – dados, voz, imagem, streaming de vídeo, etc. “A infraestrutura foi implantada em 11 cidades distribuídas pelos estados do Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Goiás e Espírito Santo, cobrindo 170 mil residências (homes passed) que não tinham acesso a um serviço de banda larga de qualidade”, ressalta Faria. 

PUBLICIDADE  

Na maioria das cidades, a Phoenix utilizou solução 100% Furukawa – cabos, caixas, acessórios e outros materiais de rede externa. “Em termos de controle logístico, ter um único fornecedor facilitou muito. Outra vantagem é que tudo chegou no prazo acertado, o que permitiu concluir o projeto em apenas 11 meses”, acrescenta.  

Em plena operação desde agosto de 2020, a rede neutra da Phoenix – construída com solução Furukawa – tem um total de 1,6 mil quilômetros de fibra passada. “Essa infraestrutura tem capacidade para atender outras operadoras interessadas em prestar serviços nessas cidades e que, dessa forma, não precisam investir na construção de uma rede própria”, conclui Marcos Faria.(Com assessoria de imprensa) 

 

Previous Espírito Santo lança edital para rede de fibra óptica em 30 municípios
Next Senai e Huawei vão capacitar profissionais para o setor de telecomunicações

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *