Programa de socorro a pequenas empresas será lançado no dia 18


O governo vai lançar no próximo dia 18 o Pronampe, o programa de socorro financeiro às micro e pequenas empresas, cujo faturamento anual é até R$ 4,8 milhões. É uma linha de crédito mais barato prevista no Projeto de Lei 1.282/2020, aprovado pelo Congresso Nacional.

São previstos R$ 15,9 bilhões como aval a empréstimos de 36 meses a investimentos e capital de giro. Será usada a Selic, hoje em  3,75%, na carência de 8 meses e depois mais 1,25%. O empréstimo  será  igual ao valor de até 30% da receita anual de 2019.

De acordo com o texto aprovado pelo Congresso Nacional a ser sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro, esses recursos serão aportados pela União no Fundo de Garantia de Operações (FGO) para dar suporte ao programa. Trata-se de fundo privado gerido pelo Banco do Brasil.

PUBLICIDADE  

“Será preciso ainda uma medida provisória para provisionar esses  recursos no orçamento público, o que acho que vai tudo acontecer nesta semana”, afirmou ao Ponto.ISP o assessor especial do Ministério da Economia, Guilherme Afif Domingos. “O regulamento do fundo está pronto, a estrutura operacional também está pronta. Só faltam retoques legais”.

Segundo o assessor, para sancionar o Pronampe, o governo aguardava a promulgação da PEC do orçamento de guerra, que retira as amarras para o gasto público durante o período da pandemia.

Rede de crédito

De autoria do senador Jorginho Mello (PL/SC), que preside a Frente Parlamentar Mista da Micro e Pequena Empresa, o projeto prevê que os empréstimos poderão ser solicitados em qualquer banco privado e no Banco do Brasil, que vai coordenar a garantia dos empréstimos.

Outros bancos públicos que poderão aderir são a Caixa Econômica Federal, o Banco do Nordeste do Brasil, o Banco da Amazônia e bancos estaduais. Permite a participação ainda de agências de fomento estaduais, de cooperativas de crédito, de bancos cooperados, de instituições integrantes do Sistema de Pagamentos Brasileiro, das fintechs e das organizações da sociedade civil de interesse público de crédito.

Veja as linhas gerais do programa clicando neste material do Sebrae.(Por Abnor Gondim)

Previous Google dá dicas para os professores usarem o Meet
Next STJ suspende ações que favorecem a inadimplência em telecom

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *