Urna eletrônica pelo celular é apresentada pela Vsoft


A Vsoft desenvolveu um aplicativo para celular que funciona como urna eletrônica para as eleições no Brasil e foi apresentada ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) como sugestão e foi testado durante o primeiro turno das eleições no último domingo, dia 15, a partir de simulação de escolha de candidatos fictícios, combinando autenticação por biometria digital e facial, QR Code, criptografia, blockchain e recursos de verificação do próprio voto pelo eleitorado. A apresentação da solução aconteceu em uma seção eleitoral de Curitiba no primeiro turno das eleições de novos prefeitos e vereadores.

O processo do voto tem a seguinte sequência: o eleitor faz o download do aplicativo no seu aparelho; faz seu cadastro no aplicativo, que possui conexão direta e segura com os servidores do TSE para validação dos seus dados biográficos e confirma a sua condição para o voto; faz a coleta das suas biometricas: facial e impressões digitais; realiza acesso às cédulas digitais com as opções para escolha de candidato; coleta o voto dado e faz a transferência segura para os servidores do TSE, utilizando tecnologia blockchain para armazenamento, assegurando que ninguém possa violar, apagar ou realizar quaisquer modificações nos votos transmitidos. Depois do voto, o aplicativo gera comprovante online e oferece os recursos de verificação do voto para o eleitor.

O aplicativo da Vsoft participa do projeto “Eleições do Futuro” do TSE, que tem como finalidade iniciar estudos e avaliações para eventual implementação de inovações no sistema eletrônico de votação atual. Entre os critérios estabelecidos pelo TSE para a participação da Vsoft no projeto, a solução apresentada pela empresa atende aos requisitos de segurança da votação, proteção ao sigilo do voto e eficiência.

PUBLICIDADE  

De acordo com o TSE, o projeto “Eleições do Futuro” visa conhecer o que as empresas têm a oferecer em conhecimento e tecnologia e que “não está em discussão a possibilidade de o Tribunal abrir mão do controle do sistema de votação, que está e continuará sob seu controle”. Além disso, informa o TSE que “não será considerada nenhuma proposta que torne inseguro o processo de votação ou ameace o sigilo do voto”.

Mais informações sobre o projeto Eleições do Futuro em https://www.tse.jus.br/. Para saber mais sobre a Vsoft: www.vsoft.com.br

(Com assessoria de imprensa)

Previous ISPs defendem manutenção da norma 4 na unificação de serviços
Next Senado aprova uso do Fust em banda larga e isenção para IoT

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *