WIkicommonsUma parceria entre a Associação Nacional de Provedores de Internet (AproveBrasil) e a Gerencianet permite que os provedores associados paguem tarifas especiais nas emissões de por boletos. Por conta do alto número de fraudes nas cobranças, o boleto sem registro, meio de recebimento mais utilizado pelos provedores, terminou no final de 2016. Já não é mais possível solicitar esse tipo de cobrança nos bancos.

A partir de agora, é obrigatória a utilização de boletos registrados. Nesse tipo de cobrança, todo boleto, antes de ser entregue ao cliente, deve ser cadastrado (registrado) no banco. Só serão aceitos pagamentos de boletos que estejam cadastrados. Com isso, espera-se diminuir as fraudes.

Sob o ponto de vista do provedor, a obrigatoriedade de registro gerou um aumento de custos: na modalidade sem registro, o provedor pagava a taxa ao banco somente sobre sobre os pagamentos feitos por boleto. Na modalidade com registro, o provedor pagará a taxa sobre todos os boletos emitidos, independente do pagamento do cliente.

Assim, os provedores que emitem carnê para seus usuários pagarão a taxa do boleto sobre as 12 mensalidades geradas. Mesmo que o cliente cancele nesse período, o valor será pago ao banco. Desse ponto de vista, a cobrança com registro aumentou o custo de cobrança do provedor.

Com a parceria com a GerenciaNet, a AproveBrasil passa a oferecer a seus associados uma tarifa especial por boleto registrado pago. Sem nenhuma outra taxa adicional como taxa de alteração, inclusão, exclusão ou cancelamento. Se o cliente não realizar o pagamento de um boleto específico, o provedor não terá nenhum custo adicional. (Com assessoria de imprensa)