O país fechou janeiro de 2017 com 26,76 milhões de usuários de banda larga fixa em serviço, um crescimento de 9,5% em relação a fevereiro de 2016. Nos últimos 12 meses, o crescimento da base de banda larga fixa dos provedores regionais foi de 78,2%, segundo dados da Anatel – e hoje eles representam 10,8% do total de terminais de banda larga fixa em operação no país.

O ritmo de crescimento da banda larga fixa dos provedores regionais vem em uma curva ascendente contínua, enfrentando uma pequena queda em dezembro de 2016, quando a base perdeu 71,3 mil terminais. Perda que foi compensada em janeiro de 2017, com o acréscimo de 105, 2 mil terminais, ou seja, mais 3,73%, ou 78% dos 134,7 mil acessos fixos incorporados à base de todas as operadoras no mês.

Em relação a dezembro de 2016, a base total de banda larga fixa no país cresceu meio ponto percentual em janeiro. Depois dos provedores regionais, que aparecem na tabela da Anatel na categoria Outros, o melhor desempenho, entre as grandes operadoras, foi o da TIM, (Telecom Italia), com aumento de 1,88%, enquanto Claro (América Móvil) e Oi apresentaram 0,23% e 0,11%. No entanto, a Vivo (Telefônica) registrou queda de 0,06%.

No ano, entre fevereiro de 2016 e janeiro de 2017, o segmento de banda larga fixa ganhou 1,27 milhão de novos clientes (+ 4,96%). Até em função de seu desempenho mês a mês, os provedores regionais responderam por 49,8% dos novos usuários de banda larga fixa do país, ou seja, por 630,4 mil. Isso representou um crescimento da base dos provedores regionais de 27,73% entre fevereiro de 2016 e janeiro de 2017, mesmo patamar de crescimento registrado pela TIM (27,36%). Só que a base da TIM é bem menor. A empresa fechou janeiro deste ano com 331,7 mil assinantes contra 2,9 milhões dos provedores regionais.

Desempenho nos estados

Em janeiro, os maiores crescimentos percentuais foram registrados nos estados da Paraíba (+3,21%), do Rio Grande do Sul (+2,55%), do Rio Grande do Norte (+2,16%) e no Distrito Federal (+2,24%). As maiores quedas foram observadas no Amapá (-7,16%), no Mato Grosso (-2,80%), no Maranhão (-1,28%) e em Pernambuco (-1,03%). Os cinco estados com os maiores números de usuários apresentaram crescimento no mês: São Paulo (+0,45%), Rio de Janeiro (+0,23%), Minas Gerais (0,78%), Paraná (0,37%) e Rio Grande do Sul (2,55%).

Nos últimos doze meses, esses estados também apresentaram crescimento: São Paulo (+3,35%), Rio de Janeiro (+4,46%), Minas Gerais (+8,74%), Paraná (+3,33%) e Rio Grande do Sul (+7,78%). Mas os maiores crescimento foram registrados no Amapá (+13,62%), no Maranhão (10,73%), em Rondônia (10,37%), em Sergipe (10,21%) e no Piauí (9,13%). (Com assessoria de imprensa)