A Redex está lançando uma Caixa de Terminação Óptica (CTO), com capacidade para até 16 assinantes, que já pode vir pré-conectorizado, ou seja, com os splitters e adaptadores de conexão instalados; ou sem conectorização, o que exige a fusão das fibras em campo. O foco da CTO é o mercado de provedores regionais, tanto aqueles ampliam sua infraestrutura como os que estão fazendo a transição da rede sem fio (rádio) para óptica.

A função da CTO é interconectar a rede principal dos provedores (backbone) aos cabos de derivação (tipo Drop) que chegam até o assinante. Para a interligação, a CTO deve ser instalada na rede aérea. O dispositivo é colocado em postes próximos e na vertical. A opção de cores – preta, branca, amarela, azul, verde, cinza e grená – também contribui para que os provedores organizem melhor suas redes.

O projeto da CTO foi pensado para facilitar a instalação em campo, o que explica seu tamanho compacto – 256 x 175 x 83 mm. Além de exigir pouco espaço, a caixa tem um design funcional, com tampa, base e bandejas articuladas. Para evitar acessos indevidos, o dispositivo possui mecanismo de tranca dedicada e pode operar com sistema de fusões com remontes. A CTO permite a instalação do tipo sangria para cabos até 18 mm de diâmetro e a derivação ou emenda para cabos até 21 mm de diâmetro.

“A CTO que estamos lançando ocupa um nicho intermediário, com o melhor custo-benefício do mercadoe qualidade técnica comprovada”, explica Alessandro Mazzafiori, diretor da Redex. A CTO da empresa obteve a homologação oficial pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), no último mês de outubro. Ele aposta na precificação como o fator de posicionamento de mercado – R$ 330/caixa. “Há equipamentos com preço menor, mas sem o mesmo desempenho e que podem comprometer a infraestrutura instalada dos provedores regionais”, argumenta. “Existem CTOs mais caras, mas cuja performance não se diferencia tanto da caixa que estamos trazendo”, complementa. (Assessoria de Imprensa)