72% das empresas de informação e comunicação mantiveram quadro durante pandemia


Das 139,5 mil empresas de serviços de informação e comunicações, 68,1% estavam abertas ou funcionando parcialmente até a primeira quinzena de junho;10,8% fechadas temporariamente enquanto 21,1% fecharam permanentemente. Esses são os primeiros resultados da Pesquisa Pulso Empresa: Impacto da Covid-19 nas Empresas e fazem parte das Estatísticas Experimentais do IBGE. 

De acordo com o levantamento, o efeito negativo da pandemia foi sentido em 72,3% das empresas do setor. Para 17,7%, no entanto, o efeito foi positivo e para 10%, ficou praticamente igual. As vendas, nesse período, diminuíram para 69%, mas cresceram para 12%, enquanto 18,1% não viram diferença. 

A capacidade de atendimento ao cliente, por sua vez, se manteve estável para 43,8%, mas 55,2% reportaram dificuldades. Já o acesso aos fornecedores de insumos, matérias primas ou produtos foi mais difícil para 54,7% das empresas de informação e comunicação, porém para 37,3% não houve alteração. Enquanto 6,7% não souberam responder. 

PUBLICIDADE  

Sobre a capacidade de fazer os pagamentos de rotina, 55,5% das empresas disseram que enfrentaram dificuldades, ante 43,6% que disseram não ter enfrentado problemas significativos nessa área. 

Com relação ao número de funcionários, 71,9% afirmaram que praticamente não houve alteração. Mas 27,3% reportaram demissões. Por outro lado, 79,1% das empresas em funcionamento adotaram medidas extras de higiene para barrar a contaminação e 59,8% adiaram o pagamento de impostos. No tocante a crédito, apenas 15,5% das empresas do setor contrataram linha emergencial de crédito para pagamento da folha de pessoal. 

As empresas de serviços de informação e comunicação englobam companhias de TI, de TICs, de telecomunicações e de audiovisual. 

Geral 

No geral, das 1,3 milhão de empresas que fecharam (temporária ou definitivamente) na primeira quinzena de junho, 522,7 mil (39,4%) encerraram suas atividades por causa da pandemia, sendo que 518,4 mil (99,2%) eram de pequeno porte (até 49 empregados), 4,1 mil (0,8%) de porte intermediário (de 50 a 499 empregados) e 110 (0%) de grande porte (mais de 500 empregados). Ainda entre as empresas encerradas por causa da pandemia, 258,5 mil (49,5%) delas eram do setor de Serviços, 192,0 mil (36,7%) do Comércio, 38,4 mil (7,4%) da Construção e 33,7 mil (6,4%) da Indústria. 

Saiba mais sobre as ações do IBGE no combate à pandemia no hotsite covid19.ibge.gov.br. 

Previous PL prevê internet grátis para baixa renda na pandemia
Next Receita abre licitação para contratar banda larga no Rio Grande do Sul

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *