Avança articulação para criar PTT em Campo Grande


A Associação Nacional para Inclusão Digital (Anid) de Campo Grande (MS) promoveu, dia 8 de junho, um encontro de provedores regionais com Antônio Moreiras, do NIC.br, visando articular a criação de um PTT local. O PTT permite que a troca de tráfego seja feita localmente, reduzindo custos e otimizando a velocidade.

Moreiras deu esclarecimentos sobre o funcionamento do PTT e trouxe experiências que deram certo na implantação do PTT, assim como demonstrou as consequências de decisões equivocadas.

Para Percial Henriques, presidente da Anid, “o objetivo do encontro foi a busca de consenso entre os participantes do futuro PTT para definir um modelo de cooperação para melhorar e compartilhar a infraestrutura, tendo sido discutido ainda o compartilhamento de caches baseados no PTT”.

PUBLICIDADE  

Moreiras visitou e avaliou três espaços cogitados para a instalação do PTT. Um em universidade pública e outros dois em salas privadas. O espaço na universidade, de acordo com o técnico do NIC.br, não atende as exigências para o funcionamento dos equipamentos e precisaria de reformas.

Os provedores, que se comprometeram a manter a articulação para concretizar o projeto de criar um ponto de tráfego com urgência, expuseram as dificuldades em relação a infraestrutura, o que exige investimentos. Também debateram sobre o modelo de gerenciamento do PTT. Moreiras explicou que não há uma regra para esse gerenciamento. “A situação é definir um encontrar um local neutro para instalar o PTT com uma infraestrutura adequada”, avaliou.

 

Previous Novo canal facilita acesso de pequenas e médias empresas a crédito do BNDES
Next Novo Ponto de Troca de Tráfego de internet no Brasil

4 Comments

  1. Avatar
    Willian
    5 de julho de 2017
    Responder

    Campo Grande/MT???? É MS – Campo Grande, capital do estado de Mato Grosso do SUL.

  2. Avatar
    LEANDRO
    9 de dezembro de 2018
    Responder

    ONDE FICA A CENTRAL DO PTT AQUI EM CAMPO GRANDE ?

    • Wanise Ferreira
      17 de janeiro de 2019
      Responder

      Oi Leandro…sugiro que você entre em contato com o NIC.br para saber mais sobre essa questão de localização. Obrigada pela atenção

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *