Começa segunda-feira prazo do cadastramento para utilização do Pix


A partir da próxima segunda-feira, 5, começa o prazo de cadastramento dos usuários para utilização do Pix, solução de pagamento instantâneo criada e gerida pelo Banco Central do Brasil (BC), que proporciona a realização de transferências e de pagamentos. O Pix é concluído em poucos segundos, inclusive em relação à disponibilização dos recursos para o recebedor.

O Pix entra oficialmente em funcionamento no dia 16 de novembro. Mas já é possível fazer um pré-cadastro em diversas instituições financeiras. No entanto, as informações passadas terão que ser confirmadas no dia 5 de outubro.

O Pix é um meio de pagamento assim como boleto, TED, DOC, transferências entre contas de uma mesma instituição e cartões de pagamento (débito, crédito e pré-pago). A diferença é que o Pix permite que qualquer tipo de transferência e de pagamento seja realizada em qualquer dia, incluindo fins de semana e feriados, e em qualquer hora.

PUBLICIDADE  

São duas diferenças principais em relação ao que já existe: o consumidor não paga taxas para esses serviços e o dinheiro entra na conta em apenas alguns segundos

Segurança

Preocupação de muitos analistas, a segurança, segundo o Banco Central, faz parte do desenho do Pix desde seu princípio, e é priorizada em todos os aspectos do ecossistema, inclusive em relação às transações, às informações pessoais e o combate à fraude e lavagem de dinheiro. Os requisitos de disponibilidade, confidencialidade, integridade e autenticidade das informações foram cuidadosamente estudados e diversos controles foram implantados para garantir alto nível de segurança.

Todas as transações ocorrerão por meio de mensagens assinadas digitalmente e que trafegam de forma criptografada, em uma rede protegida e apartada da Internet. Além disso, No Diretório de Identificadores de Contas Transacionais (DICT), componente que armazenará as informações das chaves PIX, as informações dos usuários também são criptografadas e existem mecanismos de proteção que impedem varreduras das informações pessoais, além de indicadores que auxiliam os participantes do ecossistema na prevenção contra fraudes e lavagem de dinheiro.

Cadastro

Para fazer o cadastro, o usuário pode optar por utilizar seu CPF (ou CNPJ para pessoas jurídicas), telefone ou e-mail para criar uma chave PIX. Há a opção, ainda, de utilizar uma chave aleatória para aqueles que preferem manter o sigilo dos seus dados pessoais.

O Banco Central ressalta que não é necessário cadastrar uma chave para fazer ou receber um Pix. Porém, afirma que o cadastramento da chave é altamente recomendável para receber um Pix. Ainda que você possa receber transações apenas informando os dados da sua conta, essa forma não tem a mesma praticidade que o uso da chave possibilita e pode gerar demora na iniciação da transação, diminuindo o benefício do pagador em fazer um Pix.

Instituições financeiras e instituições de pagamentos, incluindo fintechs, com mais de 500 mil clientes são obrigados a oferecer a opção do Pix aos seus consumidores. Mais de 900 instituições financeiras, como bancos e fintechs, já se cadastraram para passar a oferecer o Pix.

Veja as principais perguntas e resposta sobre o Pix.

Previous Ponto ISP e agência Uhaau firmam parceria estratégica
Next NWi inaugura novo data center e planeja expansão para outras cidades

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *