Fundos de investimentos estão de olho no mercado dos provedores regionais, impressionados com o crescimento da participação dessas empresas no mercado de banda larga. Mas essa tendência de concentração só vale a pena para os ISPs que estão regularizados, observa Márcio Rodrigues, sócio da consultoria Futurion.

Para Rodrigues, as empresas com dificuldades tributárias e sem regularização do uso de postes perdem valor, e obtêm poucos recursos nos casos de aquisição. Ele apontou casos positivos de aquisições, como da Sumicity, que recebeu recursos de fundo de investimentos e da Vero, que foi criada a partir da junção de oito ISPs de Minas Gerais.

“A criação de clusters pode ser interessante para o investidor que busca alguma escala”, disse Rodrigues. Mas ressalta que as empresas precisam estar organizadas para terem valor.

PUBLICIDADE  

Márcio Rodrigues participou, nesta sexta-feira, 27, do INOVATic Nordeste & ISP Business. O evento foi realizado pela Momento Editorial em Salvador (BA).