Os serviços de informação e comunicação recuaram 0,9% em janeiro frente ao mês anterior, eliminando, assim, o acréscimo de 0,3% verificado em dezembro de 2019. Foi o único segmento com resultado negativo na pesquisa sobre o setor de serviços do IBGE e divulgada nesta quarta-feira, 25.

A queda na procura por serviços de TI e retração no segmento de audiovisual contribuíram para a variação negativa no primeiro mês de 2020. Na comparação com igual mês do ano passado, foi observada uma alta de 2%, com busca maior por portais, provedores de conteúdo e ferramentas de busca na internet; TV aberta; tratamento de dados, provedores de serviços de aplicação e serviços de hospedagem na internet.

Em janeiro, os serviços de TI tiveram a maior queda de 2,2%, seguido pelo de TIC, com recuo de 1,2%. Serviços de audiovisual caíram 0,6% e de telecomunicações, 0,2%. Na comparação anual, entretanto, foi registrada queda apenas no serviço de telecomunicações, de 4%. O segmento de TI subiu 12,9% e o de audiovisual, 5,2%. Os serviços de TIC avançaram 1,5%.

PUBLICIDADE  

Nos últimos 12 meses, os serviços de informação e comunicação avançaram 3,1%, com alta de 13% no segmento de TI, 3.4% no de TIC e 1,4% no de audiovisual. Apenas o segmento de telecomunicações apresenta resultado negativo nesse  tipo de comparação, de 1,3%.

Em janeiro, o setor de serviços no Brasil mostrou expansão de 0,6% frente a dezembro de 2019. Em relação a janeiro de 2019, o volume de serviços avançou 1,8%, alcançando sua quinta taxa positiva consecutiva. No acumulado nos últimos 12 meses, ao avançar 1% em janeiro de 2020, repetiu-se o resultado de dezembro último e manteve-se a trajetória ascendente iniciada em setembro de 2019 (0,7%).