Grupo da Milha Telecom em reunião no Sebrae RN. Da esquerda para direita o segundo na fila de trás Alcimar Cortez, da Cortez Online; e nono na mesma fila Leonardo de Lima, da Ondanet.

Passo a passo, este grupo de empresários, que começou a se reunir em 2006, conseguiu conquistar seu objetivo. Eram 18 provedores regionais do Rio Grande do Norte, da Paraíba e de Pernambuco. Quatro ficaram pelo caminho. Em dezembro, 14 deles lançam, no Rio Grande do Norte, a franquia Milha Telecom, marca própria, projeto em que são franqueadores e franqueados. Juntos atendem 121 cidades, nesses três estados, com um backhall entre municípios de 6 mil quilômetros de cabos ópticos.

No final de 2017, as 14 empresas reunidas na Associação Nacional de Provedores de Internet (ANPI) contabilizava cem mil clientes, dos quais 33 mil em fibra. E a infraestrutura de FFTH do conjunto (Fiber to the Home), segundo Leonardo de Lima, presidente da Ondanet, provedor da Paraíba com sede em Santa Luzia e um dos sócios, cobria um total de 130 mil home passed. Em 2018, a rede de fibra continuou a avançar, atingindo, em agosto, 39 mil clientes.

Layout da loja da franquia Milha Telecom para cidades de 20 mil habitantes

Para chegar ao modelo de franquia não foi uma decisão fácil. O grupo, que se uniu num primeiro momento em busca maior poder de barganha junto aos fornecedores, passou por muitas discussões. Mas chegou à conclusão de que precisava de processos bem definidos por consultorias e que todos seguissem para alcançar um nível ótimo de qualidade. De 2014 a 2017 perseguiu este objetivo em todas as áreas. Da infraestrutura de rede e processos de gestão ao marketing, da gestão das lojas aos pacotes de comercialização. O resultado é um manual muito bem estruturado, que contou com uma grande contribuição do Sebrae Rio Grande do Norte, e que está sendo publicado neste mês. Depois que a equipe se associou à Associação Brasileira de Franchising.

A partir de janeiro de 2019, todas as empresas associadas da ANPI passam a usar a marca Milha Telecom e a seguir as novas regras. Como toda franquia, as lojas seguem um padrão visual e de atendimento, as redes são montadas segundo o mesmo processo e o atendimento técnico é o mesmo. Só o preço varia segundo o tamanho do mercado, informa Alcimar Cortez, da Cortez Online, de São José do Mipibu, do Rio Grande do Norte, também sócio. Ele atende a dez cidades cidades no litoral e parte do interior do estado, quase 80% com fibra.

A franquia da Milha Telecom é aberta a todos os interessados, desde que atendam às condições estabelecidas. Para uma rede de 5 mil clientes, o investimento previsto é de R$ 1,2 milhão.