Do Tele.Síntese

A Seaborn Networks anunciou que fará mesmo um ramal do cabo submarino Seabras-1. O trecho ligará o Brasil à Cidade do Cabo, na África do Sul, em um prolongamento batizado de SABR (South Africa-Brazil). De lá, parte para Ilhas Maurício e Índia, em um cabo construído pela indiana IOX.

O mapeamento da rota por onde o trecho asiático do cabo passará já começou. A expectativa das empresas é de que a ligação seja concluída em 2019. Segundo as empresas, esta será a rota mais “segura e confiável” entre Estados Unidos e Índia já construída. Atualmente, as rotas passam por Oriente Médio, Norte da África e Europa.

Com o acordo, a Seaborn passa a oferecer ligação entre Brasil e Reino Unido, a partir de um contrato firmado em setembro com a operadora europeia Aqua Comms, que prevê ligação entre o Seabras-1 e o cabo da parceira, que atravessa o Atlântico Norte; e entre Brasil, África e Ásia. Essas rotas estão sendo desenvolvidas como alternativas para operadores do mercado financeiro. O Seabras-1 tem, inclusive, serviço de transporte acelerado de dados para a realização de operações no mercado de capitais.

Com o novo cabo, haverá três cabos ligando Brasil à África até 2019. Além do SABR, a concorrente africana Angola Cables está terminando o SACS, que ligará Luanda (Angola) a Fortaleza (CE). E a China Unicom está construindo o Sails, cabo que conecta Kribi (Camarões) também a Fortaleza.