Os serviços de informação e comunicação recuaram 0,4% em novembro frente a outubro devolvendo, em parte, o ganho de 1,7% verificado no mês anterior. Mas na comparação com igual mês de 2018, a alta foi de 4% puxando o crescimento do setor de serviços como um todo, que ficou em 1,8% positiva na comparação anual.

A pesquisa divulgada nesta terça-feira, 14, pelo IBGE, mostra que a alta nos serviços de comunicação e informação foi impulsionada, em grande medida, pelo aumento na receita das empresas de portais, provedores de conteúdo e ferramentas de busca na internet; de atividades de TV aberta; de suporte técnico, manutenção e outros serviços em TI.

Contribuíram também positivamente a edição integrada à impressão de livros; de desenvolvimento e licenciamento de programas de computador não customizáveis; e de operadoras de TV por assinatura por cabo.

No acumulado do ano, os serviços de informação e comunicação (3,3%) exerceram o principal impacto positivo sobre o índice global, impulsionado, em grande parte, pelo aumento da receita das empresas que atuam nos segmentos de portais, provedores de conteúdo e outros serviços de informação na internet, de desenvolvimento e licenciamento de programas de computador customizáveis, de consultoria em tecnologia da informação e suporte técnico, manutenção e outros serviços em tecnologia da informação.

Os serviços de telecomunicações avançaram 0,1% em novembro, na comparação mês a mês, porém no confronto com igual mês do ano anterior, a queda foi de 1,2% e de 0,8% e 0,9% no acumulado do ano e nos últimos 12 meses, respectivamente. Esse desempenho é 12,2% menor que o melhor resultado obtido por esse segmento, em outubro de 2014.

Os serviços de TIC avançaram também 0,1% frente ao mês anterior, mas na comparação anual subiram 3,1% e 3,7% no acumulado do ano e nos últimos 12 meses. Em relação ao melhor resultado já obtido pelo segmento, em março de 2015, a defasagem é de 2,7%.

Os serviços de TI tiveram desempenho ligeiramente melhor na comparação mês a mês, de 0,2%, mas na comparação anual a alta é de 11,8% e de 13,2% e 13,6% no acumulado do ano e nos últimos 12 meses, respectivamente. Na comparação com o melhor resultado já obtido pelo segmente, em agosto de 2019, a defasagem é de apenas 0,4%.

Os serviços de audiovisual foi o único segmento que apresentou queda no confronto mensal, de 0,8%, entretanto, na comparação anual o ganho foi de 9,9%. No acumulado do ano, a avanço foi de 0,4% e nos últimos 12 meses, houve queda de 0,1%. Porém, na comparação com o melhor desempenho, em junho de 2014, a defasagem é de 28,1%.

Geral

Em novembro de 2019, o setor de serviços no Brasil mostrou ligeira variação negativa (-0,1%) frente ao mês anterior, após crescimento acumulado de 2,2% entre setembro e outubro. O total do volume de serviços avançou 1,8% em novembro de 2019 frente a igual mês do ano anterior, alcançando a terceira taxa positiva consecutiva.

Houve crescimento de 0,9% tanto no acumulado do ano de 2019 como no indicador acumulado em 12 meses, com este último ganhando ritmo frente a agosto (0,6%), setembro (0,7%) e outubro (0,8%).