Foto de Pok Rie, via Pexels https://www.pexels.com/photo/cable-clouds-conductor-current-189524/

Foto de Pok Rie, via Pexels https://www.pexels.com/photo/cable-clouds-conductor-current-189524/

Desde ontem por volta das 16h15, os clientes da Eletronet, operadora que vende capacidade de rede no atacado para outras operadoras e provedores de acesso à internet, que têm links que terminam em São Paulo ou que passam pelo PTT local estão sem conexão. Dois cabos OPGW da empresa – uma rota de entroncamento — romperam entre Guarulhos e Ibiúna, na Grande São Paulo e só às 11 horas de hoje, 6, a equipe técnica de Furnas foi autorizada pelo Operador Nacional a subir na torre para retirar os equipamentos. De acordo com o diretor de Operações da Eletronet, Anderson Jacopetti, só depois que os equipamentos foram abertos e avaliados será possível saber qual a causa do rompimento dos cabos e quando a conexão será restabelecida. “Estamos trabalhando com várias hipóteses para dar uma solução rápida aos nossos clientes, mesmo que provisória, como usar a rede metropolitana de terceiros”, disse Jacopetti. O duplo rompimento está mobilizando toda a empresa, pois, como reconheceu seu presidente, Vicente Correia, afeta a quase a totalidade dos seus 200 clientes diretos, que por sua vez atendem a empresas e usuários domésticos criando uma grande massa sem conexão. Logo depois que ocorreu o incidente, foram mobilizadas equipes da Eletronet e de Furnas para identificar onde tinha ocorrido o rompimento do cabo óptico e realizar todos os testes. Segundo Jacopetti, o ponto do rompimento aconteceu a 57 quilômetros de Guarulhos, região onde a linha de alta tensão de Furnas passa sobre os trilhos da CPTM e onde está localizada uma comunidade de Perus. Os trabalhos foram retomados hoje as 7 horas. Vicente Correia promete, ao final do dia de hoje, dar uma posição aos clientes da Eletronet sobre o restabelecimento da conexão da rota afetada.