iConecta instala site piloto de 4G LTE


O provedor de acesso à internet iConecta, que atende o sul de Minas Gerais e algumas cidades do leste paulista, está fazendo um projeto-piloto de conexão internet móvel com tecnologia 4G Long Term Use (LTE). “Pelo que sei, fomos a primeira empresa que adquiriu licenças no leilão de sobras de frequências da Anatel a colocar um piloto em produção”, comentou Juliano Rastelli, sócio da empresa – que está nos Estados Unidos visitando operadoras para “aprender a enfrentar os desafios da nova tecnologia”.

Para testar a operação, funcionando em um site ZTE, a iConecta decidiu iniciar uma experiência restrita a seus funcionários, em março, na cidade de Ouro Fino. A previsão é de que em julho o serviço esteja disponível comercialmente, também em Monte Sião, Inconfidentes, Bueno Brandão, Borda da Mata e Jacutinga. “Estamos no corre corre pois o prazo para cumprimos a obrigação do leilão é dezembro”, conta Rastelli.

Ele revela que a iConecta – que adquiriu lotes para 60 cidades – está construindo um backbone de fibra óptica próprio. Só no semestre passado, foram implantado mais de 2500 postes. A meta, afirma Rastelli, é conectar todas as cidades nesse backbone para que a empresa possa oferecer planos iguais ou melhores do que os praticados nos grandes centros . “A ideia é migrar todos os clientes do Wi-Fi para LTE . E oferecer algum tipo de mobilidade aos que já têm fibra”, acrescenta.

Com a conexão 4G LTE, a iConecta pretende trabalhar a possibilidade da portabilidade, que, diz Rastelli, “era o único produto que nós pequenos provedores estávamos privados de oferecer ”.

Previous Banda larga via satélite fica protegida com decisão da Anatel, comemora SindiSat
Next Após reestruturação, Mob Telecom avança rumo à região Norte

6 Comments

  1. Luciana
    11 de abril de 2017
    Responder

    Que bacana! !!!
    Parabéns! !!
    Sucesso sempre! !!

  2. lucimar riveiro
    11 de abril de 2017
    Responder

    Parabens….

  3. Parabéns Juliano pela iniciativa de melhorar a telefonia dá região.

  4. Gabriel
    12 de abril de 2017
    Responder

    Ainda fala “pequeno provedor”, hahahaha.
    Que tem capacidade para esse investimento todo já é no mínimo provedor de tamanho médio.

    Pequeno provedor mesmo não consegue comprar essas frequências para LTE, muito menos os equipamentos das ERBs, e ainda construir um backbone óptico conectando todas essas cidades.

  5. Valda Rastelli
    12 de abril de 2017
    Responder

    Que legal! Só alegria ! Que Deus continue te abençoando sua carreira . Beijao para todos

  6. Lander Pimentel
    12 de abril de 2017
    Responder

    Acho incrível que a Anatel liberou a licença só para uma pequena gama de provedores. Essa projeto era pra ser muito maior e extenso a outros municípios e regiões, mas a burocracia é enorme.
    O pequeno provedor tem tido papel importantíssimo na distribuição de banda pelo país, ficando as operadoras a ofertar o serviço nos grandes centros que é seu foco.
    Mas o futuro é esse aí

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *