Mais de 37 mil conteúdos ilegais Já foram removidos pela ABES em 2020


A ABES (Associação Brasileira das Empresas de Software) removeu da web, no primeiro semestre de 2020, 37.352 anúncios, links e sites com conteúdos que davam acesso a arquivos que violam o Direito Autoral e a Propriedade Intelectual dos associados da entidade. A ação acontece desde 2005 e é realizada por meio do trabalho de Monitoramento da Internet da associação. Com isso, a ABES já conseguiu derrubar mais de 733 mil conteúdos ilegais desde o início do monitoramento.

O balanço deste ano aponta uma redução de aproximadamente 15% em relação ao mesmo período em 2019. “Essa queda está relacionada ao PPPI – Programa de Proteção à Propriedade Intelectual, do Mercado Livre, o qual ajudamos a fundar há 18 anos. A eficiência deste programa fez com que a oferta de anúncios ilegais contendo software no site caíssem drasticamente neste período”, explica Rodolfo Fücher, presidente da ABES.

Até junho deste ano, a ABES contabilizou 20.089 links removidos por violarem os direitos de propriedade intelectual. Foram retirados do ar 17.210 anúncios que promoviam produtos piratas. Além disso, a entidade foi responsável por derrubar 58 websites que ofereciam downloads ilegais de software.

PUBLICIDADE  

A associação faz um monitoramento contínuo da internet e notifica diretamente os próprios portais de e-commerce e os provedores de acesso. Esta ação tem o objetivo de proteger os consumidores, que podem estar expostos a vírus, malwares e sequestro de dados. Também protege o consumidor que pode estar infringindo as leis brasileiras de propriedade intelectual sem saber. Empresas Associadas à ABES podem contar com esse serviço de monitoramento gratuitamente encaminhando eventuais conteúdos ilegais para o Setor de Monitoramento de Internet.(Com assessoria de imprensa)

Previous Receita Federal abre licitação para conectar unidades em 11 cidades do Goiás
Next Steck lança Plugue WiFi que transforma tomadas convencionais em smart

1 Comment

  1. Avatar
    Antônio Carlos
    13 de outubro de 2020
    Responder

    Em casos de violação online de marcas e direitos autorais, é importante gerar provas do fato com agilidade e segurança, pois a empresa ou a pessoa pode apagar o conteúdo da internet ( post, site, anúncio) a qualquer momento, sendo difícil posteriormente comprovar a necessidade de reparação na Justiça.
    O primeiro passo é gerar as provas que o site ( ou seu conteúdo) realmente estava no ar. Pode ser uma arte publicada em redes sociais.

    Prints são provas muito fracas, podem ser manipuladas digitalmente de forma fácil, e nem é preciso dominar photoshop, há vários aplicativos e sites que simulam visualmente conversas de redes sociais de forma muito próxima a uma conversa

    Para gerar provas com confiabilidade e segurança, é importante que os materiais digitais sejam coletados como prova com utilização de técnicas forenses, leis e conforme normas da ABNT. No caso, seguir a ISO 27037 – Diretrizes par identificação, coleta, aquisição e preservação de evidência digital.

    Deve ainda atender aos princípios da cadeia de custódia, conforme exige o Pacote anticrime, em casos de processos penais e atender o novo CPC nos processos civeis.

    A solução tecnológica da Verifact tecnologia (www.verifact.com.br) atende a todos esses requisitos e ainda conta com sistema antifraude e alto nivel de segurança. O sistema é online, oferece serviço de captura e preservação de provas digitais online de forma segura e controlada, capaz de gerar provas auditáveis, certificadas por meio regulamentado pelo governo brasileiro ( MP 2.200-2/2001).

    Em resumo, utiliza, entre outras soluções de segurança, o carimbo de tempo ICP Brasil.

    O relatório técnico da captura fica pronto em questão de minutos, é feito o vídeo da navegação e é possível salvar áudios, vídeos, imagens, textos e arquivos de download durante a navegação. Cada relatório custa só R$ 69 e o registro pode ser feito de casa/escritório/home office.

    É possível registrar materiais digitais online, como conversas de whatsapp, posts stories, comentários, directs de instagram, twitter, skype, conteúdos de sites, e-mails, transformando estes materiais em provas robustas e seguras.

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *