Vivo abre 300 vagas exclusivas para pessoas com deficiência


Vivo abre 300 vagas para pessoas com deficiência. crédito: freepick
As vagas serão para home office em diferentes cidades brasileiras. Crédito:freepick

 A Vivo abre 300 vagas exclusivas para pessoas com deficiência para a área de experiência do cliente da companhia. As oportunidades nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Fortaleza, Vitória e Salvador são para atuar como atendente, em formato home office. No dia 10 de fevereiro, a empresa promoverá uma feira online para esclarecer dúvidas sobre as atribuições das atividades. Os interessados precisam se inscrever pelo link .

Para concorrer a uma das vagas, é necessário ter domínio de informática e pacote office, além de entusiasmo e energia para fazer acontecer. Ter ensino médio completo, estar cursando ou ter concluído o ensino superior serão diferenciais.

PUBLICIDADE

“Somos uma marca inclusiva e entendemos a importância de termos mais pluralidade e representatividade dentro da companhia. Acreditamos que a diversidade de pessoas é um diferencial de inovação, que contribui para uma melhor experiência junto aos nossos clientes”, afirma Ricardo Miras, diretor de Experiência do Cliente.

A seleção das vagas será online e o salário é compatível com o que é oferecido no mercado. Entre os benefícios estão vale refeição e transporte; plano de saúde e odontológico; seguro de vida; day off de aniversário; plano móvel controle, desconto especial em linha fixa, banda larga, TV por assinatura e apps, além de licença parental. Os selecionados contarão ainda com um auxílio home office e a Vivo fornecerá também equipamentos como notebook, mesa e cadeiras para execução do trabalho à distância.

Os interessados em concorrer a uma das oportunidades precisam enviar um laudo informando sobre as limitações e acessibilidades necessárias.

Inclusão

Em abril do passado, a operadora já havia lançado  um programa para o desenvolvimento de carreira de 100 colaboradores negros em parceria com o Instituto Modo Parités, que faz consultorias para empresas em inclusão e diversidade. O programa ocorrerá de forma virtual.

De acordo com a vice-presidente de Pessoas da Vivo, Niva Ribeiro, o programa tinha como objetivo o aprimoramento de “soft skills” para que os participantes estejam “preparados para aproveitar as oportunidades aqui dentro da Vivo”. “Entendemos a importância do aumento da representatividade e do oferecimento de condições igualitárias de desenvolvimento”, disse à época.

Previous Plataforma online de M&A para ISPs é lançada pela IT
Next Pesquisa aponta os jogos mais esperados dos gamers

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.