O processo de reestruturação da Mob Telecom – que começou em 2014, com holding Mob Inteligência, e incluiu a instalação, em 2016, do Centro de Serviços Compartilhados – culminou, no final do ano passado, com a implantação de um Conselho Administrativo. Composto por integrantes da família Bayde e por representantes de outros setores de telecom, o conselho já atua a todo vapor, apoiando os planos de crescimento da empresa – que cobre todo o Nordeste e ruma para a região Norte. “O Conselho traz visões diferentes de outras regiões e do mercado de telecom, nos ajudando a montar as estratégias”, diz Vanderson Santana, diretor comercial.

Mantendo os planos de crescimento de seu backbone em fibra óptica, com redes de acesso GPon, a Mob contabiliza cerca de 40 mil clientes, dos quais 35 mil residenciais com atendimento de banda larga, e o restante dividido entre venda em atacado e segmento corporativo – onde a empresa tem clientes de grande porte, como Caixa Econômica Federal e Pag Menos, entre outros. “Nosso foco, agora, são as cidades entre 100 mil e 200 mil habitantes”, revela Santana. Ele conta que, para este ano, será conectada uma cidade a mais por mês. Para 2018, a Mob estima acelerar a velocidade e conectar de duas a três cidades por mês.

A Mob Telecom também é a principal distribuidora de conteúdo no Nordeste. Diante do crescimento do consumo de vídeos pelos usuários, a operadora investiu, em 2011, em um data center que, entre muitos serviços corporativos, oferece também o de colocation para provedores de CDN (Content Delivery Network), para entrega local de conteúdo.