Vispe deve lançar plataforma para facilitar aquisição e fusão de ISPs


A Vispe Capital deve lançar uma plataforma que visa aumentar a quantidade de negociações de M&A (Compra, venda e fusões entre empresas) no setor de telecomunicações, além de facilitar o acesso a recursos financeiros para os Provedores de Internet investirem em expansão de suas operações. Posts da companhia no Instagram, na sua comunidade do Facebook e no Linkedin anteciparam algumas informações, mas ninguém da Vispe confirma ainda.

Claramente a empresa estava verificando se existe interesse do seu público em utilizar uma plataforma de M&A, também foram anotadas uma postagem de um dos sócios Pablo Constantino dentro de uma página do Facebook focada em M&A para ISPs chamada “Comunidade M&A para ISPs” (https://www.facebook.com/groups/2105966776322705/) onde Pablo mostrou o que parece ser a tela inicial dessa nova plataforma de negociações, mas infelizmente apagou a URL e locais que “denunciariam” mais detalhes sobre a plataforma. Já no Linkedin da empresa, foi disponibilizado um material gratuito contendo o processo completo de venda de uma empresa apontando um suposto nome para a plataforma “VC Negociações”.

A consolidação do mercado de ISP deve se intensificar nesse segundo semestre. Provedores de maior porte, como Mob, Sumicity e Vero já afirmaram a disposição em adquirir ISPs de menores portes. E os fundos de investimento, segundo especialistas nesse ramo, estão com o apetite redobrado, não só para compra, mas também para financiamento de operações. O 5G e as oportunidades de negócios que surgiram com a pandemia do novo coronavírus explicam esses interesses.

PUBLICIDADE  

Uma plataforma específica de M&A poderia facilitar esses processos. O termo vem do inglês Mergers and Acquisitions, que pode ser traduzido para o português como Fusões e Aquisições (F&A). Na URL www.vcnegociações.com.br não aparece nenhum resultado além de uma tela preta, contendo apenas uma data (20 de agosto), mas é possível que essa seja o dia do lançamento da plataforma ao mercado.

Previous STF valida lei do RJ que proíbe fidelização em contratos de serviços de telecom
Next Falta de equipamentos impediu LTE dos ISPs, diz Abrint

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *